Apesar do modelo de jogo ser fundamental na organização de um time, ele não pode ser mais importante que o objetivo principal do jogo: o gol. Será que o seu uso compromete dentro de campo?

Hoje em dia é impossível não perceber que as discussões sobre futebol no Brasil vêm melhorando e se tornando mais profunda em diversos lugares. Desde blogs e sites que oferecem boas possibilidades de capacitação recheados de informações relevantes, até cursos presenciais (igual a CBF, que hoje está construindo programas e licenças muito importantes para qualificar os profissionais da área), já podemos observar  boas oportunidades de evolução  para profissionais na área (que ainda precisa evoluir muito) e o aprofundamento em vários conceitos do jogo.

Antes de tudo entenda o que é o modelo de jogo

É como se fosse um pré-jogo. Tudo o que acontece dentro de campo não pode ser deixado nas mãos do destino, tem que ser trabalhado sem parar. Daí surge o “Modelo de Jogo”, que nada mais é do que treinar exatamente o que vai fazer no dia do jogo, como a equipe vai se comportar nos diferentes momentos da partida, resumindo, é um planejamento geral.

Ok. Então o modelo de jogo com toda certeza é um dos temas mais discutidos na hora de entender o jogo. O modelo de jogo, nada mais é do que a forma como uma equipe busca se organizar dentro dos 4 momentos do jogo (organização defensiva, organização ofensiva, transição defensiva, transição ofensiva e bolas paradas) de acordo com princípios de jogo (sempre respeitando especificidades da ideia do treinador, características dos atletas, cultura do clube…) que dão personalidade a equipe.

Eis os 4:

Organização Ofensiva: é quando o seu time está com a posse da bola. É o jeito de que a equipe vai atacar, a movimentação dos jogadores, o estilo de passe que vai ser dado no momento, tipo de finalização.

Transição Defensiva: é quando seu time perde a bola. Não foram eficientes no ataque e a defesa adversária roubou ela. É um momento rápido de reação do seu time que estava com a bola. Perderam a bola? Então vocês vão pressionar o cara que está com ela o mais rápido possível para não deixar ele virar o jogo.

Organização Defensiva: A pressão de vocês com o carinha lá não deu certo. Não roubaram a bola rapidamente. Eles estão trocando passe e vindo pra cima de vocês e o que irão fazer? Essa é a Organização Defensiva. É a maneira que seu time vai se posicionar para marcar o adversário enquanto ele estiver com a bola. Isso vai de cada técnico.

Transição Ofensiva: vocês estão com a bola! Agora é hora de ir pra cima deles, hora do ataque. É um momento rápido para se organizarem ofensivamente e marcarem gol!

No geral, o modelo de jogo é aquilo que pauta todo o treino e todo o processo de construção do time. Trabalha-se sem parar procurando atingir determinados comportamentos, em cada momento, buscando uma organização máxima da equipe e a criação de um padrão de jogo. Apesar do modelo de jogo ser de extrema importância, é preciso tomar muito cuidado para que ele não limite a equipe e acabe sendo algo muito prejudicial.

Técnicos e todo mundo envolvido na construção da equipe, devem ter em mente que sempre o maior objetivo do jogo vai ser marcar gol (afinal, ganha aquele que faz mais gols no fim da partida, independente da posse de bola, desarmes, finalizações…) e que o futebol é um jogo mega imprevisível, por isso, não é possível saber com antecedência cada ação que vai ocorrer na partida, a não ser que alguém alí seja vidente. Com isso, apesar de os comportamentos do modelo precisarem estar bem estabelecidos, eles nunca podem se tornar “o mais fundamental do jogo”, mesmo que deixe o time mais distante do gol em alguns momentos, e se torne um limitante para cumprir seu objetivo maior. Por exemplo, uma equipe X, tem como princípio de jogo, na organização ofensiva, a manutenção e a circulação da posse de bola usando passes curtos, mas eles tem uma oportunidade e melhores condições de chegar ao gol cujo é um passe vertical longo e não a circulação, como tinham combinado no modelo de jogo.

Se, o modelo de jogo da equipe tiver sido construído de maneira mais sólida, com o objetivo de executá-lo sendo o mais fundamental, o atleta que estiver naquela situação vai optar por circular a bola nesta situação, mesmo que neste caso o o modelo de jogo o deixe mais longe de fazer o gol.

Para isso não ocorrer, é fundamental que fique muito claro para todo mundo do time que o mais importante no jogo de futebol é a resolução dos problemas, que cada jogo e situação apresenta em busca de cumprir o objetivo maior que é fazer o gol e que para isso, é importante que o modelo de jogo e seus comportamentos, apesar de estarem presentes para auxiliar e ajudar a potencializar a equipe e os jogadores na sua organização e ações durante o jogo, (já que são um padrão e ocorreram com maior frequência), sejam flexíveis e permitam que os jogadores possam tomar as decisões da melhor maneira possível, mesmo que não siga a risca o padrão de comportamento determinado em todo o momento.

Portanto, é fundamental entender que o modelo de jogo é um ajudante muito importante e um norteador para que a equipe consiga se sair bem no jogo, mas ele jamais deve ser algo engessado e absoluto que deixe a equipe mais distante da vitória dentro de um jogo de futebol. É sempre bom não deixar passar as oportunidades!

Fontes:

http://treinotacticofutebol.blogspot.com.br/p/o-meu-modelo-de-jogo.html

O Modelo de jogo e suas particularidades