Hoje a discussão é sobre a nova geração de torcedores que preferem o futebol europeu ao brasileiro!

Faça o teste: ande pelas ruas de qualquer cidade brasileira e observe quantas crianças, adolescentes e adultos vestem a camisa de algum clube de futebol europeu. Tenho certeza que não serão poucas. Famílias inteiras, mulheres, crianças e adolescentes, estão ficando cada vez mais atraídos por times europeus, repetindo de certa forma, o comportamento que ainda existe em várias regiões do nosso país, onde até hoje torcedores se envolvem mais com equipes do Sudeste do que com os clubes de sua própria cidade ou estado.

Vamos analisar como isso ocorre: diariamente somos bombardeados por outras culturas. Com o avanço da tecnologia então, fica praticamente impossível fugir de ser influenciado, mesmo que pouco.

Não é de hoje que o futebol internacional tem lugar garantido na programação do fim de semana. Com um número cada vez maior de canais na TV à cabo, as opções para ver o futebol do velho continente são das mais variadas.

As transmissões pela TV, devido ao fuso horário europeu, acontecem durante a semana no horário da tarde. Beleza, mas o que isso tem a ver? Bom, as crianças e adolescentes estão disponíveis em casa, nas ruas ou no clube, e, praticamente todos esses lugares possuem acesso á TV.

Por outro lado, os jogos de meio de semana, de maior apelo dos campeonatos no Brasil, são transmitidos às 10 horas da noite e quase terminando próximo à meia noite, o que inviabiliza muita criançada na hora de acompanhá-los e de desenvolver o hábito de ver nosso futebol. E olha que as crianças de hoje em dia ainda tem mais um pouco mais de liberdade na hora de dormir mais tarde, hein!

Já no fim de semana, enquanto os jogos europeus continuam sem praticamente nenhuma concorrência no mercado nacional, acontecendo a partir das 9 da manhã e seguindo até o fim da tarde, os jogos locais são transmitidos na noite de sábado, ou seja, é a hora que as crianças estão com suas famílias e os jovens com os amigos, ou no fim da tarde de domingo, único horário em que realmente tá quase todo mundo à toa.

A gente pode ver claramente que o futebol europeu está seduzindo os jovens fãs brasileiros da mesma forma que os times do Rio de Janeiro, quando capital do Brasil, seduziam os torcedores de quase todo o país por conta da Rádio Nacional.

Vamos ser sinceros, o futebol europeu é apaixonante e não dá para dizer que os melhores não jogam lá, pois, eles jogam sim e muito. Não só os times grandes como Barça, Bayern de Munique e Real Madrid têm destaque. Os times não tão conhecidos por muitos como, Tottenham, Sevilla ou Bayer Leverkusen possuem seus torcedores aqui, e, sem contar que realmente mandam bem demais!

Solução?

Além de buscarmos aos poucos um reencaixe da programação da TV para não continuarmos perdendo as novas gerações para os europeus, transmitindo os jogos de quarta às 21h, tendo alguma partida relevante na tarde de quarta e/ou quinta no lugar da Sessão da Tarde, ampliando um pouco mais os horários de sábado e domingo para, literalmente, batermos de frente com as transmissões de fora, precisamos também atrair essa criançada e jovens de volta ao estádio onde, ali sim, não tem pra ninguém, somos imbatíveis!

A atmosfera do estádio é outra vibe, a festa nas arquibancadas, as bandeiras, o coro da galera cantando, a batucada, a entrada emocionante do time em campo, a energia durante a partida, a comemoração dos gols, ou seja, tudo que envolve uma partida de futebol dentro do estádio fazem aquelas duas horas únicas, sedutoras. Ali sim, no estádio eles sentem a presença e a energia do time.

Os adolescentes e crianças assistem e interagem com a festa, com seus times e seus ídolos, se sentindo parte do clube do coração e, somente assim deixarão de lado os times europeus, os quais eles só podem, na maioria das vezes, assistir pela TV.

Claro que precisamos melhorar os acessos aos estádios, preços mais em conta, facilitar o transporte, cuidar da segurança fora e dentro do estádio para que os pais se sintam seguros em trazer seus filhos para as partidas.

Além de tudo isso, temos que criar pacotes com preços família, com espaço de estacionamento e áreas específicas no estádio para disponibilizar um maior conforto pra quem vai com a família.

Com todos esses cuidados, garanto que em pouco tempo os pais se sentirão confortáveis e seguros em trazer seus filhos e filhas, e esses se engajariam cada vez mais no espírito de torcedor do seu clube de coração. Precisamos disso, precisamos nos unir mais!

Vale ressaltar que nem todo mundo curte o Brasileirão e ninguém é obrigado a gostar ou torcer, para algum time nacional, né? Cada um faz o que quer. Cada um tem o direito de torcer pro time que quiser, porém, a questão aqui, é não privar a juventude do que temos de bom também e sempre achar um modo de incentivá-los!

O que importa mesmo é amar futebol e ser um torcedor que está com o time nos momentos bons e ruins. Tanto faz se é aqui no Brasil, ou na França, Espanha, Holanda, Portugal ou Alemanha. Vibe, torça, grite, chore, sorria e esteja com sua equipe independente do que aconteça! Vista a camisa!

Fontes:

http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico/radio-nacional