Fizemos um guia completo para te ajudar a montar sua escalação

Quem joga fantasy game de futebol sabe que sempre bate aquela dúvida na hora escalar o time. A escolha é difícil porque são vários jogadores para cada posição e muitas variáveis envolvidas. Desse jeito, o player fica em dúvida sobre qual atleta é a melhor opção.

Pensando nisso, nós, do SportManager 365, montamos um guia detalhado para ajudar você a escalar seu esquadrão com mais chances de detonar no final da rodada.

Sem mais delongas, vamos direto ao que interessa!

Qual é a competição?

Taça da copa do mundo no gramado com jogador de futebol ao fundo.

Saber qual competição está envolvida na rodada do fantasy game é essencial para conseguir uma escalação de sucesso.

Muitas vezes, o apertado calendário esportivo obriga as equipes a jogarem mais de uma competição ao mesmo tempo. Por causa disso, os treinadores optam por poupar seus melhores atletas para a competição que o clube tem mais interesse (seja pela alta premiação ou pela possibilidade de título).

Em 2018, por exemplo, Cruzeiro e Corinthians usaram suas equipes reservas em alguns jogos do brasileirão pensando nas batalhas pela Copa do Brasil.

No caso dos estaduais, muitos técnicos aproveitam também para fazer testes com novas contratações e jogadores da base recém-promovidos ao time profissional. Assim, a qualidade técnica e a postura da equipe podem variar bastante nos primeiros jogos até que o treinador encontre o esquema tático ideal.

Fique sempre ligado nos principais noticiários esportivos porque eles costumam dar boas prévias do que os técnicos estão planejando para os confrontos da rodada.

Qual o momento dos times?

Futebol é momento. Muitos clubes grandes já tiveram fases complicadas e muitos clubes pequenos já surpreenderam. Portanto, é importantíssimo analisar a fase atual das equipes para saber quem tem mais chance de sair com a vitória.

Para isso, mais importante do que olhar os placares das três ou quatro últimas partidas, é analisar como a equipe chegou a esses resultados. Nem sempre vence quem joga melhor – o futebol é uma caixinha de surpresas, não é mesmo? – então é possível que o placar do jogo não seja condizente com o rendimento das equipes em campo.

Da mesma forma que um time pode ter uma sequência de derrotas porque, apesar de criar muito, desperdiça muitos gols, um outro time pode emplacar algumas vitórias aproveitando as raras chances de gol que tem.

As estatísticas sempre são nossas aliadas. Use-as sem moderação porque elas fornecem informações preciosas sobre a competição.

Você também deve assistir aos jogos com regularidade. Assim dá pra ter uma boa noção do futebol que tem sido apresentado pelas equipes ao longo do campeonato e como elas estão evoluindo.

Momento de cada atleta

Jogador em posição de bater o pênalti e goleiro pulando para defender

Da mesma forma que o grupo como um todo pode estar numa boa ou ruim, individualmente os jogadores também oscilam de produção. Como nos fantasy games temos que escolher jogador por jogador, saber quem vem mandando bem e quem tá “zicado” é crucial.

Mesmo com o time em uma má fase, alguns jogadores podem ter desempenho acima da média e vice-versa. A equipe pode vencer um confronto, mas um jogador de marcação pode não atuar bem porque cometeu muitas faltas e errou muitos passes. Observe os destaques individuais durante os jogos.

Um diferencial para a sua escalação pode ser estudar bastante as promessas dos times menores. Esses jogadores são mais difíceis de serem notados porque são menos conhecidos, mas custam menos que os jogadores mais badalados. Então, conhecer bem os elencos coadjuvantes pode render boas pontuações com um custo baixo.

Relevância da partida

Os times podem entrar em campo com níveis de motivação bastante diferentes conforme o momento do campeonato em que a partida acontece.

Se uma equipe já alcançou todas as suas pretensões na competição ou já está matematicamente rebaixada – como o Paraná, rebaixado para a Série B com 6 rodadas de antecedência no último Brasileirão – e só vai jogar pra cumprir tabela, com certeza tem menos preocupações do que quem ainda precisa vencer para continuar na briga pelo título ou fugir do rebaixamento.

É provável, então, que quem precise do resultado saia mais para o jogo, adote uma postura agressiva e crie mais jogadas com perigo de gol.

Cansaço, lesões e suspensões

Jogador de futebol lesionado caído no gramado

Como já dissemos lá em cima, o calendário dos times é bastante apertado e isso acaba obrigando as equipes a pouparem alguns jogadores para que eles possam se recuperar.

Mas nem sempre rola. Às vezes, o tempo que a delegação tem entre uma partida e outra não é suficiente pra todo mundo descansar bem e o time entra em campo ainda cansado. Pode ser por causa de uma viagem longa, por exemplo.

Nos campeonatos disputados em formato mata-mata, os jogos que vão para a prorrogação exigem um esforço grandes dos atletas no tempo extra e esse cansaço pode refletir na partida seguinte.

Então, se o time entra em campo desgastado para enfrentar um outro que tem jogadores velozes no ataque, pode ser que no segundo tempo saiam gols de contra ataque ou de lançamentos em profundidade.

Lesões e suspensões também podem ter grande influência sobre o time. A ausência de um jogador importante para o elenco pode mudar o comportamento da equipe, seja pela qualidade técnica ou pela liderança que ele tem.

Além disso, o jogador que fica muito tempo parado no departamento médico pode sentir a falta de ritmo de jogo, tempo de bola etc. e levar uma ou duas partidas para recuperar o desempenho que tinha antes de se lesionar.

Fique atento ao noticiário esportivo para saber os acontecimentos recentes e usá-los nos na hora de montar seu time. Ah, não perca nosso podcast! Ele com certeza vai te ajudar a ficar por dentro dos destaques positivos (e negativos) da rodada.

Fator casa e fora

A gente sabe que jogar em casa com o apoio da torcida faz toda a diferença pro time.

E os números tão aí pra não deixar nenhuma dúvida: no brasileirão de 2018, dos 380 jogos, os visitantes venceram os anfitriões em somente 69 oportunidades (18%). Já os times mandantes saíram vitoriosos em 202 partidas, mais da metade do total (53%).

Mas como toda regra tem sua exceção, nem sempre a lógica de ganhar em casa e perder/empatar fora funciona. Às vezes, acontece de um time ter um desempenho ruim em casa e ser um visitante indigesto quando joga longe de seus domínios.

Isso aconteceu com o Atlético-MG no Brasileirão de 2017. O Galo virou presa fácil naquele ano e o bordão “caiu no Horto, tá morto”, que fez sucesso durante a Libertadores de 2013, virou um pesadelo. O clube conquistou somente 43,9% dos pontos disputados em casa, contra um aproveitamento de 50,9% como visitante.

Então, esteja sempre atento a essas variações para não ter nenhuma surpresa durante a rodada.

Esquema tático

Quadro verde com desenhos táticos de futebol

A formação da equipe diz muito sobre a postura que ela vai adotar na partida.

É preciso analisar as últimas partidas das duas equipes envolvidas no confronto para ver quais as qualidades e defeitos das formações que os treinadores vão escalar.

Se um time vai com três atacantes e dois meias de criação, certamente terá uma postura bastante ofensiva e pode criar muitas oportunidades de gol se tiver jogadores de qualidade. Por outro lado, se uma equipe tem um histórico recente de levar muitos gols e a formação que o técnico escolheu já foi usada outras vezes, provavelmente a defesa será vazada.

Acompanhe os jogos e tente observar padrões táticos. Desse jeito, você consegue apontar os pontos fortes responsáveis por uma boa fase ou os pontos fracos que estão fazendo a equipe afundar e, com isso, é mais fácil afirmar quem tem maior chance de mandar bem dentro de campo.

Características táticas individuais

A depender do esquema tático que o treinador escolher, um atleta pode ficar mais ou menos em evidência no jogo. Isso depende das características individuais dos jogadores e é um ponto que merece nossa atenção. Aqui vão alguns exemplos de situações comuns que ocorrem nos confrontos:

  • Num jogo que terá um meio de campo congestionado, os laterais podem ser acionados nas jogadas de ataque, mas a defesa fica desprotegida. Boas chances de gol com bolas alçadas na área;
  • Nesse caso, é interessante escalar zagueiros e atacantes que sejam bons cabeceadores e bons cobradores de falta/escanteio;
  • Se os laterais apoiam no ataque, os volantes podem ajudar na defesa (mas perdem a opção de aparecerem como elemento surpresa no ataque). De toda forma, nessa situação de jogo os volantes podem pontuar bem por efetuar muitos desarmes.
  • Se o time perde seu principal jogador de criação e não tem um do mesmo nível para repor, ainda assim os atacantes com velocidade e bom drible podem se dar bem, já que podem compensar a falta de um passe de qualidade com a habilidade individual para marcar.

Recapitulando pra te ajudar a não deixar nenhum tópico passar batido:

  1. Qual a competição envolvida?
  2. Qual o momento dos times?
  3. Qual o momento de cada atleta?
  4. Qual a relevância da partida?
  5. Tem jogadores importantes suspensos, lesionados ou desgastados?
  6. Quem é mandante e quem joga fora de casa?
  7. Qual o esquema tático mais provável?
  8. Quais características táticas individuais podem fazer a diferença?

Estamos na torcida para que você consiga bons resultados com esse post. Confira em detalhes como funciona nosso fantasy game e. Lá tem mais algumas dicas para não vacilar na hora de escolhes os 11 que vão te levar à vitória.