Saiba diferenciar entorse, distensão, luxação e fratura

Ih, pegou pesado dentro de campo no fim de semana e se lesionou? Acha que não é nada demais? Confira aqui as diferenças entre as lesões mais comuns que podem ocorrer durante a partida!

Lesões decorrentes da pratica de esportes estão se tornando cada vez maiores, e não importa a idade, as lesões são comuns  tanto em indivíduos que praticam essa esportes por hobby quanto em atletas profissionais.

Separamos algumas lesões mais frequentes e discorremos um pouco sobre elas. Lembrando que nosso corpo é um templo e devemos tomar todo o cuidado possível para mantê-lo saudável e em boas condições.

Caso aconteça fraturas, entorses ou luxações, é muito importante que a pessoa mantenha a calma e procure um médico imediatamente. Tente manter o local imobilizado, uma vez que a movimentação em qualquer um dos casos pode causar danos piores.

Entorses – É a perda momentânea de uma articulação. Pode ser definida também como uma lesão traumática dela por meio de alongamento, arrancamento ou ruptura de um ou mais ligamentos, sem deslocamento das superfícies articulares.  Ou seja, é a separação momentânea das superfícies ósseas articulares, provocando assim o estiramento ou rompimento dos ligamentos.

O nível de gravidade da lesão é classificada de diversas maneiras; porém são mais usados esses dois sistemas:

Entorse grau 1 – Quando se dá o estiramento ou uma pequena rotura das fibras dos ligamentos com pouca ou nenhuma instabilidade articular.

Sintomas: Dor leve, pouco edema e um pouco de rigidez muscular.

Tratamento: Descanse o local lesionado. Se não há fratura coloque algum peso sobre a perna. Use uma tornozeleira pois muitas vezes ajuda a controlar o inchaço e acrescenta estabilidade enquanto os ligamentos estão cicatrizando. Mantenha a perna elevada pra evitar inchaço.

Não coloque gelo diretamente sobre a pele (use um pedaço de pano fino como uma almofada entre o saco de gelo e a pele) e não aplique gelo por mais de 20 minutos de cada vez para evitar queimaduras.

Entorse grau 2 – É quando ocorre alguma ruptura e separação das fibras ligamentares e instabilidade moderada da articulação.

Sintomas: Dor moderada e forte, edema e rigidez muscular. Há uma pequena laceração no músculo ou no tendão. A dor é mais extensa, durando de 1 a 3 semanas

Tratamento: Imobilizar imediatamente o local e aplicar compressas frias e bolsas de gelo durante as primeiras 24 horas. Nos casos mais graves podem necessitar de imobilização com bandagens ou gesso, por isso não hesite em procurar um hospital mais próximo.

Distensão– A distensão muscular ocorre quando um músculo se estica demais, gerando a ruptura de algumas fibras musculares ou de todo o tendão ou músculo envolvido. Esse estiramento muscular é resultante de um esforço extremo realizado pelo músculo em questão. As distensões são mais facilmente reconhecidas que as contraturas musculares (músculo contraindo de forma incorreta), uma vez que a dor causada pela ruptura dos feixes é imediata, tornando impossível dar continuidade ao exercício. As causas da distensão muscular são devido ao esforço excessivo para realizar uma contração muscular durante a prática de atividade física, e por isso o estiramento muscular é muito comum em atletas que estão se preparando para um campeonato ou durante uma competição, mas também pode ocorrer em pessoas comuns que exigem um grande esforço de seus músculos e articulações num dia que decide jogar bola com os amigos, tipo numa partida de final de semana.

Sintomas: Dor intensa localizada próximo de uma articulação, fraqueza muscular, dificuldade de movimentar a região afetada, sendo difícil continuar na atividade, pode vir a ficar roxo (característica do extravasamento sanguíneo), inchaço e a região pode ficar um pouco mais quente que o normal.

Tratamento: Repouso da região afetada, uso de remédios anti-inflamatórios em pomadas ou comprimidos, Ibuprofeno (sempre sob orientação médica), faça compressas frias ou com gelo de 3 a 4 vezes por dia até 48 horas e sessões de fisioterapia se necessário. Se for o caso, a fisioterapia deve ser o quanto antes para garantir o retorno às atividades diárias o mais rápido possível.

Luxação-  A luxação é uma lesão que ocorre dentro das articulações em que um dos ossos é deslocado perdendo seu encaixe natural. Muitas vezes ela pode estar associada a uma fratura e geralmente é causada por um forte traumatismo (queda, acidente automobilístico, doenças crônicas como artrite ou artrose).

Sintomas: Restrição da mobilidade da articulação da área afetada, dores, inchaço local e alteração do formato do órgão. A luxação do ombro é uma das mais comuns luxações de grandes articulações.

Tratamento: Reposição, após a exclusão de fraturas ósseas através de um raio-x. Uso de analgésicos para suportar a dor e “redução” da luxação, que consiste em posicionar o osso devidamente no seu lugar (feitos por médicos). Em alguns casos mais específicos talvez seja necessária uma cirurgia para o correto posicionamento do osso.

Contusão– A contusão é uma lesão (sem fratura) dos tecidos moles do corpo. Ela é considerada uma lesão traumática aguda, sem corte, decorrente de trauma direto aos tecidos moles e que provoca dor e edema. A contusão vai de leve até uma grande infiltração de sangue nos tecidos vizinhos. Diversos fatores expõem cada indivíduo às contusões, até mesmo o menor choque. Pessoas que não comem alimentos frescos e crus são mais suscetíveis a sofrerem contusões,  aqueles que possuem carência de vitamina C e que não bebem água suficiente também estão mais propensos.

Sintomas:  Após um trauma, a contusão pode aparecer espontaneamente. O primeiro sinal é a dor que é sentida durante o impacto. Depois do impacto, a área lesionada fica inchada, vermelha e inflamada. A dor pode impedir a vítima de se movimentar normalmente. A pele fica roxa e não desaparece se for pressionada. Com o tempo ela some gradualmente.

Tratamento: Resfrie a lesão com a aplicação de um objeto gelado por 10 a 12 minutos, fique em repouso a fim evitar mais contusões, se houver inchaço eleve a área afetada o máximo possível, faça compressão sobre o membro inchado. O uso de medicação analgésica pode ser feito por aqueles que não conseguem tolerar a dor. Se a contusão não tiver ferida,  a aplicação de creme ou gel específico alivia e reduz o inchaço. Tomar vitamina C tem uma ação curativa e também preventiva. Para previnir,  evite ser atingido com um agente agressor ou quedas. Use equipamentos de proteção como máscara, capacete e caneleiras, quando houver situações de riscos.

Precisa ir no médico? Consulte um médico se:

– Depois dos primeiros socorros os sintomas;

– A contusão não desaparecer depois de uma semana;

– A ferida estiver infectada;

– Surgirem sinais de gravidade como falta de consciência, palidez, sangramento, dificuldade respiratória, dor abdominal, paralisia ou falta de sensibilidade da pele;

– A contusão estiver localizada em áreas sensíveis (rosto, articulações, cabeça), ou se surgir sem motivo aparente

Fratura:  A fratura é a ruptura dos ossos. Após um trauma, o osso se divide em dois ou mais fragmentos. Há vários tipos de fratura, as que melhoram antes de serem diagnosticada e as que precisam de emergência médica. A fratura exposta é pior de todas e a mais perigosa. Quando a fratura exposta não é bem tratada pode vir a infeccionar.

Sintomas:

Dor intensa, incapacidade de mexer o membro fraturado, ferimento no local da fratura, inchaço, deformação do membro fraturado.

Muitas vezes, apesar da fratura, não há modificação da região fraturada, por isso, nunca tente endireitar uma fratura ou colocar o osso no lugar, deixe isso pro médico.

Existem dois tipos de fraturas: as fechadas, que deixam a pele intacta, e as expostas, quando o osso fere e atravessa a pele. As fraturas expostas exigem cuidados especiais, portanto, cubra o local com um pano limpo ou gaze e procure um hospitalo mais rápido possivel.

Agora umas noções básicas de primeiros socorros:

– Manipular o mínimo possível o local afetado;

– Jamais tentar colocar o osso no lugar;

– Proteger ferimentos com panos limpos e controlar sangramentos nas lesões expostas;

– Imobilizar a área afetada antes de remover a vítima;

– Não dê qualquer alimento ao ferido, nem mesmo água;

– Solicitar assistência médica;

– Verificar se o ferimento não interrompeu a circulação sanguínea;

– Imobilize o osso ou articulação atingido com uma tala;

Bom, agora que você já sabe um pouquinho sobre os tipos mais comuns de lesões, que tal sempre procurar tomar o máximo de cuidado possível não só nos esportes mas também em atividades corriqueiras do dia-a-dia para não se machucar?

Fontes:

http://www.efdeportes.com/efd143/lesoes-no-futebol-uma-revisao.htm

https://www.tuasaude.com/distensao-muscular/

Entorse de Tornozelo: Tudo sobre essa lesão de grau 1, 2 e 3 que pode causar o rompimento de ligamentos