O futuro está aqui, e é através de óculos.

Quando esporte e tecnologia se reúnem, coisas grandes costumam acontecer.

Nem faz tanto tempo assim que realidade virtual era ficção científica. Hoje em dia, é a mais pura realidade. Mas, por que só agora? Bem, para começar, hoje os smartphones têm alta qualidade e são praticamente onipresentes. Além disso, com um simples objeto de papelão, podemos transformar nossos celulares em óculos de realidade virtual.

Essa é uma tecnologia com potencial de mudar nosso dia a dia – desde como nos comunicamos e aprendemos até o que fazemos no nosso tempo livre. E é verdade: está só começando. Mas está acontecendo agora, e essa é a melhor hora para marcas e criadores entenderem as possibilidades dessa tecnologia.

O que uma vez foi visto como fantasia, a tecnologia da realidade virtual está entrando rapidamente no mundo do esporte, e está revolucionando a forma como os treinadores praticam e treinam jogadores jovens e veteranos. As coisas que só viveram na imaginação de alguém há 20-25 anos atrás agora estão se tornando realidades.

A realidade virtual é usada como incentivo de treinamento em muitos esportes, (tipo golfe, atletismo, esqui, ciclismo, entre outros). Ele é usado como um auxílio para medir o desempenho dos atletas, bem como a técnica de análise e é projetado para ajudar com ambos. Também é usado no design de roupas/equipamentos e como parte da unidade para melhorar a experiência do público.

O que a realidade virtual promete?

A grande promessa da VR é o que a indústria chama de “presença” – a sensação de estar em outro lugar. Câmeras específicas podem capturar toda a experiência de um ambiente, cada cantinho, cada ângulo. Num futuro não muito distante, câmeras como essa vão capturar experiências por todo o mundo.

Desempenho da VR

O atleta usa a realidade virtual para afiar certas características de seu desempenho, por exemplo, um golfista que procura melhorar o seu swing ou um ciclista de pista que quer ir mais rápido na busca individual. Os sistemas 3D podem identificar os aspectos do desempenho de um atleta que exigem mudança de sua biomecânica ou técnica.

Design e inovação de equipamentos

Outro uso popular é a fabricação de produtos esportivos: a realidade virtual é usada no design de roupas e equipamentos esportivos, design de sapato de corrida, entre outras peças. A inovação é um fator chave nesta indústria à medida que os padrões de qualidade são aumentados cada vez mais.

Os atletas estão constantemente buscando formas de ganhar mais vantagem, o que pode significar ser mais rápido, mais forte, ter melhor resistência, etc. Eles estão constantemente rompendo fronteiras quanto ao que seus corpos podem fazer, conduzindo assim, a indústria de roupas e equipamentos do segmento. Esta indústria tem que acompanhar este impulso constante para a perfeição esportiva e usa a tecnologia mais recente para fazê-lo.

Trazendo o evento esportivo mais perto do público

A realidade virtual também é utilizada para melhorar a experiência do público em um evento esportivo. Alguns sistemas permitem que o usuário percorra um estádio ou outro local, o que os ajuda na compra de ingressos para um evento.

E então há jogos de realidade virtuais temáticos que permite ao jogador se tornar parte da competição. Um exemplo é um jogo de futebol interativo que projeta essa partida em uma superfície real.

De muitas maneiras, o futebol profissional está tão saudável quanto nunca. As receitas estão crescendo mais a cada ano. Os direitos de transmissão estão disparando. As empresas estão caindo sobre si para assinar acordos de patrocínio ainda mais ricos. E, graças às iniciativas da UEFA, a dívida líquida nas 20 maiores ligas da Europa foi reduzida em um terço desde 2009.

Mas, em algum lugar, no horizonte, aparece um problema potencial: falta de visualização.

O futebol está envelhecendo bem, muito melhor do que alguns outros esportes. Você pode assistir a um jogo em menos de duas horas, a ação é contínua e entra facilmente no emblado para a visualização móvel. No entanto, até mesmo o futebol tem que contar com a modernidade. Preste muita atenção, e você verá que poucas pessoas realmente assistem a um jogo inteiro sem distração. E quanto mais jovem é o espectador, menos atenção é dada à transmissão.

Crianças em todo o mundo permanecem muito interessadas no futebol, mas muitas vezes vêem jogos com rápidos olhares longe de seus smartphones. Eles consomem o esporte principalmente através de videogames e nas mídias sociais. É uma experiência cultural tanto quanto uma prática esportiva. E isso acabará se tornando problemático para os anunciantes e, conseqüentemente, para os detentores de direitos.

Então, qual é a solução? Provavelmente realidade virtual.

Não apenas a VR por direito próprio – o que pode colocá-lo em qualquer estádio do mundo, e hipoteticamente em qualquer lugar desse estádio -, mas sim a VR integrada com todas as mídias periféricas agora afastando a atenção do próprio esporte em si.

Quando as pessoas pensam na realidade virtual, na maioria das vezes, é equiparada a um videogame, mas realmente trata de capturar momentos muito intensos e realistas. No que diz respeito a qualquer pessoa, a realidade virtual deve ser perceptivamente equivalente a uma experiência real.

Porque somos tão viciados nas coisas, que, mesmo que você coloque alguém na primeira fila [através da VR], depois de cinco ou 10 minutos, as pessoas vão sentir a necessidade de fazer outra coisa. Seja mexer no celular para verificar mensagens, ou o clima, seja o que for.

As pessoas em geral são assim por causa do aumento de usuários de smartphones. Então, uma experiência VR que o coloca no meio dos esportes não precisa separá-los do seu telefone ou separá-los de seus amigos ou do resto do mundo. É possível se dedicar constantemente.

No campo, o usuário já pode assistir ao jogo, passando pelo estádio para encontrar os melhores pontos de vantagem com os amigos. E, no futuro, ele poderia interagir com seus amigos ou com qualquer outra pessoa; por exemplo, fazendo um GIF de uma jogada agradável e o publicando

Tudo dentro do óculos VR. Tudo isso sem perder o jogo de vista.

Ainda tem também a vantagem de, para os fãs que não conseguem entrar no jogo, seja por qualquer motivo de acessibilidade ou até mesmo financeiro, eles podem agora ter essa experiência no dia do jogo, não importa onde eles estão. Conseguirão até mesmo entrar dentro do vestiário e acompanhar o pré-jogo.

Para os anunciantes, a realidade virtual oferece a oportunidade de se colocar diretamente na experiência do usuário pois ela pode ajudar o consumidor a conhecer melhor seu produto. De acordo com um estudo do Ericsson ConsumerLab, as compras são a maior razão do interesse dos consumidores mundiais de smartphones pelo VR.

CES 2018

Pegando o bonde da tecnologia moderna, não podemos esquecer de mencionar a CES 2018.

Durante a segunda semana de Janeiro, em Las Vegas, aconteceu a CES 2018 (Consumer Eletronic Show) e várias pessoas do mundo inteiro acompanharam as inovações mostradas na maior feira de eletrônicos do mundo.

Foram 3 dias de eventos, casas e centros urbanos inteligentes, carros autônomos, saúde, beleza, educação, alimentação, mobilidade, transporte, energia, varejo e praticamente todas as áreas da economia foram representadas nos milhares de metros quadrados de exposições, nas apresentações de keynotes, palestras e lançamentos.

A Internet das coisas com comando de voz aliado à Inteligência Virtual e machine learning , foram algumas das tendências que chamaram a atenção dos visitantes.

A CEA (Consumer Electronic Association) estima que em 2025 dois terços da população estará trabalhando em espaços alternativos e devido a esse pensamento, vários softwares e hardwares de produtividade de equipes globais trabalhando em home office foram lançados. Os equipamentos para organização de espaços de coworking tiveram uma área exclusiva na feira deste ano, fazendo todos pensarem no futuro dos modelos de negócio das empresas.

Ainda teve experiência de VR com esporte na feira. A Intel está trazendo e-sports e realidade virtual para as Olimpíadas deste ano, permitindo que os fãs em casa vejam os cursos e os jogos através dos olhos virtuais dos atletas olímpicos.

Fique por dentro de um pouquinho do que rolou:

Fontes:

https://www.ojogo.pt/futebol/1a-liga/benfica/noticias/interior/uefa-benfica-e-o-segundo-clube-europeu-com-maior-divida-5601373.html

https://www.ericsson.com/assets/local/networked-society/consumerlab/reports/ericsson-consumerlab-10-hot-consumer-trends-2016-report.pdf

View story at Medium.com

https://unlocked.newegg.com/article/ces-2018-intel-brings-e-sports-and-vr-olympics