Teoria da conspiração hoje! Será que o Brasil entregou a Copa de 2014?

Falar sobre Copa do Mundo é um terreno bastante fértil para as teorias da conspiração. Esse enorme torneio entre as seleções envolve quantidades absurdas de grana e prestígio, mexe com sentimentos e com o patriotismo de uma nação. Quando alguem diz que não é apenas futebol, em um Mundial, realmente não é!

Algum tempinho depois do fatídico 7 x 1, o cheiro de mutreta no ar ficou mais forte. Afinal, nossa poderosa seleção só poderia ser humilhada assim se o país tivesse vendido o Mundial. Ou não?

O dia 8 de julho de 2014 entrou para a história do futebol como o dia em que a seleção brasileira levou a maior e mais humilhante goleada de sua história. Na semifinal da Copa que o próprio Brasil sediou, com Mineirão LOTADO, a gente tomou um 7 x 1 da Alemanha.

Felipão ainda disse que “A responsabilidade pelo resultado catastrófico é minha”, após a partida. Mas tem gente que diz que os craques entraram em campo já sabendo da derrota e que tudo teria sido combinado. QUÊ?

O que dizem por aí…

Aparentemente, a seleção teria topado a mutreta por vários motivos. Primeiro, os jogadores teriam recebido um roliço cachê pelo feito. Além disso,o acordo incluiria o título do Brasil na próxima Copa e a possibilidade de o país sediar novamente o Mundial antes de 2030.

O Brasil ainda teria o lugar mais alto no pódio olímpico garantido. Resumindo, apesar do mico de 2014, no final das contas a gente levaria de mão beijada o hexa na Rússia deste ano e o inédito ouro nas Olimpíadas no Rio, em 2016. 

Denúncia

O esquema foi denunciado em uma carta assinada por um suposto jornalista chamado Gunther Schweitzer. O título da carta era: “Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa, ficariam enojadas”.

Mas quem seria sua fonte?

A fonte seria um dos jogadores da PRÓPRIA seleção. A carta confirmava a suspeita dos torcedores brasileiros levantada não só pelo desempenho desastroso dos craques mas também pela contusão de Neymar no jogo anterior, que o tirou muito cedo da Copa. Hmmm….

A maldita joelhada

Nas quartas-de-final, o Brasil venceu bonito a Colômbia. Mas o grande auê do jogo foi a vértebra fraturada de Neymar, logo depois de levar uma joelhada de Zuñiga. Logo após o craque ser retirado de campo, surgiram imagens que denunciariam outra farsa: Neymar, deitado na maca, rosto coberto por uma toalha, a tatuagem com o nome do filho no braço DIREITO não tava lá. Vish! E o que isso significa? Só poderia ser um sósia.

Um vídeo mostraria Neymar supostamente fazendo gestos e combinando a jogada em campo com o colombiano. A armação serviria para livrar o melhor jogador do Brasil da humilhação na semifinal. Além disso, sem Neymar, a derrota do Brasil seria menos suspeita, né!

Lembrança amarga

A suspeita de fraude fez muita gente se lembrar da Copa de 1998. Naquela Copa, pouco antes da final, contra a França, Ronaldo, na época a maior estrela do time, sofreu uma convulsão, provocada por uma crise nervosa, que comprometeu seu desempenho na partida.

O Brasil perdeu feio por 3 x 0. Na época, surgiram um montão de denúncias de que a nossa seleção tinha vendido o resultado em troca de sediar o Mundial. Além do resultado suspeito, as duas Copas têm mais coisas em comum: tanto em 1998 quanto em 2014, o presidente da Fifa, que comanda o futebol e organiza o evento, era Joseph Blatter. Paranóia, será? 

Mais gente envolvida

A Alemanha também estaria no esquema da Copa de 2014, já que o título tinha um preço: Joseph Blatter teria facilitado a vitória alemã em troca de apoio da federação do país à sua reeleição, em 2006 e em 2010. Nesses mesmos anos, os títulos da, Itália e da Espanha também teriam sido conquistados dentro do mesmo esquema corrupto. Assim, os três europeus seriam campeões do mundo e Blatter se manteria no poder. Bom para todo mundo, né?

Porém tem outra teoria sobre o suposto comprador…

Adidas

Quem teria encomendado o jogo para os alemães foi uma empresa símbolo do país, a Adidas. Surpreso? Ela fabrica a bola oficial da Copa desde 1970, e patrocinou oito das 32 seleções que vieram ao Brasil.

A empresa teria exigido que uma delas ganhasse a Copa. Acabou com a campeã e a vice, a Argentina. Desse jeito, na final, evento que foi assistido por mais de 1 bilhão de torcedores, todo mundo em campo vestia a marca. Ela estava estampada também na Colômbia, o time sensação da Copa e que tirou Neymar de campo.

A FIFA, parceira da Adidas desde a década de 70, anunciou que não vai punir Zúñiga.

E ai, faz ou não faz sentido toda essa teoria sobre a Copa de 2014? 

Fontes:

http://www.espn.com.br/noticia/424670_conheca-gunther-schweitzer-o-homem-que-supostamente-denunciou-a-venda-da-copa-2014

https://gauchazh.clicrbs.com.br/esportes/noticia/2014/07/fifa-decide-nao-punir-zuniga-por-lance-que-tirou-neymar-da-copa-cj5vnails0k8fxbj00990wr30.html