Quem nunca fechou o olho na hora daquele pênalti ou ficou bravo quando alguém gritou gol antes da hora?

Craques, técnicos, torcedores… Ninguém escapa quando o assunto é ‘zicar’ o adversário ou usar alguma mandinga pro timer sair vitorioso.

Confira aqui o mundo das superstições no futebol!

Vamos começar com a mais classica:

1- Gritar ‘goooooooool’ antes da hora

Todo fã de futebol já presenciou esse momento e sabe que quase sempre gritar gol dá errado e quem faz isso costuma ser repreendido.

2- Ritual para o mundial

Bruxos e xamãs costumam se reunir no estádio nacional de Lima, no Peru, para que a seleção peruana se classificasse para a Copa do Mundo deste ano. Ué, e não é que deu certo?

3- Que trem é esse?

Torcedores juram de pé junto que o trem que passa perto do estádio Moisés Lucarelli é capaz de influenciar nas partidas. Funciona mais ou menos assim: se o trem vai em direção a Jundiaí, as chances de vitória do Ponte Preta aumentam. Se ele for na direção contrária, o time perde ou empata.

4- Calça da sorte

Durante a campanha bem sucedida do Palmeiras em 2016 a calça vinho do técnico Cuca ficou famosa por ser um dos talismãs do campeão brasileiro. Cuca também não entra em campo com o pé esquerdo. Isso é bem normal entre jogadores e técnicos.

5- Copo da sorte

Um copo estampado simulando a calça de Cuca chegou até a ser vendido na lanchonete do Allianz. Que força!

6- Sal Grosso

Alguns torcedores do SPFC costumam jogar sal grosso no portão principal do estádio do Morumbi para tirar a má sorte do time.

7- Sal de novo

Mais uma vez o sal grosso é usado pelos torcedores do Inter. A galera costuma jogar dentro do gramado mesmo.

8- Vício do 13

Muita gente sabe que o Zagallo (ex jogador e técnico) é fã do número 13. “Brasil campeão” tem treze letras, costumava dizer ele que sempre tentava relacionar suas vitórias com esse número.

9- De careca beijada

Na Copa de 98, antes dos jogos da França, o zagueiro e capitão Laurent Blanc beijava a careca do goleiro Fabien Barthez. Bom, parece que essa mandinga deu certo né… perdemos para eles!

10- Mais um beijo na careca

Entre 1995 e 2006, o beijo na careca foi uma tradição entre Ronaldo e Roberto Carlos, na época em que eles jogaram juntos pela seleção.

11- Manias do CR7

O craque português Cristiano Ronaldo tambem tem suas crenças. Ele gosta de ser o primeiro a desembarcar do avião e de ser o último a entrar em campo em cada jogo.

12- Troca o disco

John Terry, o craque do Aston Villa, tem mais manias que o CR7. Ele sempre ouve o mesmo CD do cantor Usher a caminho do estádio, urina sempre no mesmo mictório do vestiário e senta no mesmo assento do ônibus em todas as viagens. Jogou tambem com o mesmo par de caneleiras durante toda a carreira ate perdê-los em um jogo contra o Barça pela Liga dos Campeões em 2005.

 13- Biriba

Superstição é um dos assuntos mais comentados em General Severiano. Tudo começou em 1948, quando o jogador Macaé achou um vira-lata preto e branco na rua. Com “Biriba” no banco de reservas, o Botafogo venceu naquela semana.

Foi o suficiente para que o dirigente Carlito Rocha levasse Biriba a outros jogos do alvinegro. Por algum tempo, o cachorro foi adotado como mascote do clube.

Durante muitos anos, havia uma mística de que o Botafogo só era campeão com gola “V”. Essa lenda foi por água abaixo, quando o clube foi campeão brasileiro em 1968 mesmo sem usar a tal gola no jogo final contra o Fortaleza.

14- Bobby Moore

Sem short mas com sorte. Booby Moore, campeão mundial com a Inglaterra em 1966, só colocava o calção depois que todos os jogadores o fizessem. Em um determinado dia, o colega Martin Peters resolveu brincar e só colocou a peça depois de Moore. Mas assim que percebeu a situação, o craque tirou o short e o colocou novamente antes de entrar em campo. 

15- O cheiro na chuteira

Em 2014, quando defendia o Treze da Paraíba, o atacante Rafael Oliveira revelou uma superstição bastante curiosa: cheirar a chuteira antes dos jogos. Segundo ele, o ritual, junto de uma oração do Pai Nosso, ajuda a dar sorte. 

16- Neymar e o pé direito

Para dar sorte, o craque só entra em campo com o pé direito e toca o gramado com as mãos para depois fazer um sinal da cruz.

17- Personal Místico

Impossível falar de superstição no futebol sem lembrar do conselheiro místico de Vanderlei Luxemburgo. No Palmeiras, antes do título que quebrou o jejum em 1993, o técnico foi orientado a repetir o uniforme que o time usou na última vitória, de 1976: camisas verdes, calções e meias brancas. E a mandinga deu certo!

As promessas para sair vencedor ou até mesmo se livrar de uma zica, costumam exigir sacrifícios. Vão desde apostas com os amigos, tatuagens, procissões, até meses sem comer chocolate ou beber cerveja.

Se o time está vencendo a grande final e o torcedor supersticioso está no banheiro, não duvide que ele fique lá até o fim do jogo, para garantir a vitória. O futebol é motivo das maiores loucuras! Qual a sua?