O VAR, que veio como uma determinação da FIFA para deixar os jogos mais justos, tem causado muitas polêmicas. Confira como a arbitragem brasileira é recomendada para utilizar o VAR e as polêmicas que ele já causou.

Início da Utilização

No Brasil o arbitro de vídeo foi implementado em 2018 e, até hoje, apesar de ter ajudado muito os árbitros de campo, sua utilização também gera muita polêmica.

A IFAB (International Football Association Board), órgão que controla as regras do futebol, aprovou a utilização do árbitro de vídeo em junho de 2016.

A utilização do sistema do VAR ao vivo começou em agosto de 2016 na segunda divisão do campeonato nacional dos EUA (USL Championship). Anteriormente o árbitro de campo recebia as instruções do VAR via áudio e, a partir delas, tomava suas decisões.

Na Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2016 um monitor foi colocado em campo para que os juízes principais pudessem revisar as jogadas. Em 2017 a Austrália foi o primeiro país a ter como norma oficial durante os jogos profissionais a utilização do VAR.

Desde sua implementação o VAR causa muitas polêmicas e divide opiniões, enquanto uns dizem que o jogo fica mais justo, outros já acreditam que o VAR atrapalha o jogo e está sujeito a erros assim como o árbitro de campo.

Durante a sua primeira utilização na Copa do Mundo de Clubes, o primeiro julgamento do VAR em uma competição internacional, o então treinador do Real Madrid, que veio a ser campeão da disputa, Zidane, chamou o sistema de fonte de confusão.

Procedimento

Existem no total 14 determinações nas quais o VAR pode rever e comunicar o arbitro de campo, elas são:

Gol

Pênalti

Cartão vermelho direto

Confusão de identidade de jogadores

Posição de impedimento (apenas quando o lance gerou gol)

Infração da equipe atacante na jogada de criação de gol

Verificar se a bola saiu das quatro linhas

Pênalti erroneamente assinalado

Pênalti não assinalado

Falta ou impedimento antes da jogada do pênalti, cometido pela equipe atacente

Bola fora de campo antes da jogada de pênalti

Expulsões diretas, sem considerar faltas de segundo cartão amarelo

Falta de expulsão clara que não foi detectada pelo árbitro

Apesar das recomendações do arbitro de vídeo, a decisão final é sempre do árbitro de campo e os jogadores e/ou comissão técnica não podem pedir para que os lances sejam revistos, tal qual no vôlei e no tênis que possuem o recurso do desafio.

Polêmicas

O VAR começou a ser utilizado em 2017 no Brasil, a sua primeira utilização foi no campeonato Pernambucano e em 2019 no Campeonato Mineiro, e a partir de agora ele é utilizado nas competições nacionais mais importantes, como por exemplo na Copa do Brasil e no Brasileirão.

1- Boca Juniors x Cruzeiro

Na partida de ida das quartas de final da Libertadores em 2018 o zagueiro cruzeirense Dedé trombou com o goleiro do Boca durante uma jogada aérea e o juiz marcou corretamente a falta, porém ao revisar o VAR o árbitro optou pela expulsão do defensor da raposa por agressão.

2- Palmeiras x Cruzeiro

Na partida da ida pela semifinal da Copa do Brasil em 2018, o Cruzeiro ganhava o jogo por 1×0, em um lance no final da partida, o Palmeiras reclamou de uma falta, porém no lance seguinte saiu o gol do Palmeiras, porém o lance já havia sido parado. A reclamação veio pois a orientação que havia sido passada para a a comissão técnica e jogadores era de que a bola deveria continuar rolando em lances cruciais.

3- Portugal x Espanha

Na fase de grupos da Copa do Mudo de 2018, as seleções se enfrentaram e a partida terminou em um empate por 3×3. Nessa partida a reclamação aconteceu pois o árbitro de campo não revisou o VAR no lance que originou o primeiro gol da Espanha. Os portugueses queriam a marcação de uma falta e Pepe, que impediria que a jogada continuasse.

4- Sérvia x Suíça

Também na fase de grupos da Copa de 2018 após uma falta dentro da área que ocorreu no atacante sérvio Aleksander Mitrovic, o árbitro marcou falta de ataque, não conferiu o VAR e seguiu o jogo.

5- Alemanha x Suécia

Novamente na fase de grupos da Copa do Mundo, a Alemanha ganhava da Suécia por 2×1, nos minutos finais Boateng derrubou Berg dentro da área, sendo um claro lance de pênalti, que poderia empatar a partida, porém a arbitragem mandou seguir, sem utilizar o recurso do VAR para rever o lance.

6- Cruzeiro x Corinthians

Na final da Copa do Brasil de 2018 o jogo entre Corinthians e Cruzeiro rendeu duas polêmicas envolvendo o VAR. A primeira foi a marcação de um pênalti interpretativo, que resultou no empate do jogo. Depois o VAR foi acionado de novo e anulou o gol de Pedrinho devido a uma falta de Jadson em Dedé no lance anterior.

7- Grêmio x River Plate

Na semifinal da Copa Libertadores, jogo entre Grêmio e River causou muita polêmica pelo não uso da tecnologia. O árbitro não reavaliou o primeiro gol do River Plate, onde o jogador claramente colocou a mão na bola resultando no gol.

E você? Qual lance envolvendo o VAR você acha que foi mais polêmico? Não se esqueça de escalar seu time!